Algumas considerações sobre estilo


Dizem que, para um ilustrador ser bem sucedido, é preciso ter estilo. Estilo pessoal é algo que todo ilustrador busca.

Mas... o que é estilo? Como saber se tenho estilo? Qual é o meu estilo?

Estilo nada mais é que a maneira, o “jeitinho” que você desenha. Compreende uma série de fatores, incluindo até a maneira como você faz o traço, o que, na verdade, deriva da maneira como você segura o lápis.

Estilo também se baseia nas escolhas que você faz ao ilustrar. Quando você recebe uma solicitação de ilustração, que eu chamo de comissionamento, você se depara com um briefing, que pode tanto ser a história infantil quanto um relação de requisitos do cliente.

Às vezes nos deparamos com solicitações que nos são bem claras: menino com calça azul e blusa vermelha. Porém, no caso de ilustração de livros infantis, não é raro que tenhamos a liberdade de escolher como ilustrar. Isso acontece porque, se alguém nos escolheu, é porque gosta da maneira como ilustramos e confia que vamos produzir e entregar algo com características similares, isto é, com o mesmo estilo.

Portanto, quando ilustramos, nosso estilo se baseia nas escolhas que fazemos: tipos de linhas, espessuras, contorno ou sem contorno, paleta de cores que utilizamos, formas recorrentes para elementos da ilustração, traços que se repetem, sem falar na escolha da técnica, das nossas experiências de vida e até mesmo de nossa personalidade.

É interessante observar que os instrumentos que utilizamos, lápis, pincéis, tintas e papéis, são muitas vezes os mesmos de outros profissionais. Embora isso seja um fato, ninguém faz uma ilustração igual. Peça a 30 ilustradores para fazer o mesmo tema e terá 30 ilustrações diferentes, com traços, cores e formas também diferentes.

Estilo, enfim, revela a forma como você vê o mundo. E isso, ilustre colega, é único, porque você é único (a)!

14 visualizações