Mudança de carreira?




Algumas pessoas me escreveram essa semana, falando sobre o sonho de se tornarem ilustradores, mas que não parece ser possível porque estão com o tempo tomado pela profissão na qual atuam.


Muitas delas sentiram-se motivadas com a postagem que escrevi: O pior arrependimento.


Respondendo a elas, achei que parte de uma das respostas poderia ajudar outras pessoas também.


Algumas dessas pessoas me disseram que gostariam de mudar de profissão logo, e passar a ilustrar livros infantis. Outras já desejam fazer uma transição mais suave, pois sabem que não teriam como abandonar o seu ganha-pão imediatamente.


Quanto à isso, eu entendo perfeitamente. Eu sou formada em Administração, com pós em Marketing, e aperfeiçoamento em Metodologia do Ensino Superior. Eu trabalhava em uma grande empresa, na área comercial, mas saí quando tive o meu primeiro filho. A decisão não foi tão difícil, pois é natural que as pessoas aceitem bem quando uma mãe opta por ficar em casa depois do nascimento do filho.


Mesmo assim, levei ainda 7 anos depois dessa decisão para me formar em Belas Artes. Passei em 2 faculdades de artes aqui no Brasil e no segundo ano de Desenho, na UFPR, meu marido recebeu um convite para uma transferência - da mesma empresa dele - para a Itália.


Optei por deixar a faculdade e lá fiquei um ano até conseguir entender como tudo funcionava, fazer vestibular e começar a Accademia di Belle Arti di Venezia. Não era fácil, porque eu tinha um filho pequeno e não tinha creche. Somente aos 3 anos ele podia entrar na escolinha. E os horários não batiam com a minha faculdade.


Meu marido viajava o tempo todo nessa época e eu ficava sozinha com meu filho. Tinha semanas que eu só falava com meu filho, e com mais ninguém. Ficava até as 2h da manhã estudando, fazendo trabalhos, e escrevendo muito, pois as provas eram orais, em frente à turma, e embora o italiano seja uma língua mais fácil para nós, eles têm um vocabulário muito grande, então eu tinha que estudar palavras muito específicas da área, saber datas de eventos... Se errasse, era corrigida na frente da turma, e era muito constrangedor.


Eu comecei a ilustrar, definitivamente, 14 anos depois que deixei meu trabalho na área comercial. Foram 3 anos com meu filho, 4 anos de faculdade, 1 ano de aperfeiçoamento, alguns anos de estudo e prática, muito aprendizado, tanto técnico como comercial e algumas tentativas.


Eu já desenhava, mas mesmo assim era difícil conseguir ter uma chance. Foram muitas variáveis até que eu começasse a ter uma rotina de trabalho. Sei que há pessoas que demoraram menos, e tem gente que ainda está no início dessa caminhada. Mas como eu sempre digo: não desista.


Eu sou fã do devagar e sempre. Do planejar e se estruturar antes de tomar decisões mais radicais.


Como costumo dizer nas minhas postagens, podemos nos preparar enquanto temos outras atividades. Enquanto eu estava cuidando do meu filho, fiz minha graduação e cursos de aperfeiçoamento. Minha mãe esteve doente durante um tempo, e enquanto cuidava dela, aproveitava os momentos em que ela não precisava de mim, para trabalhar em minha profissão. Se eu tinha 15 minutos, fazia alguma coisa referente ao meu trabalho, ao meu desenvolvimento. A vida tem estado muito corrida para todo mundo e não é fácil dar conta de tudo.


Embora nem sempre seja fácil começar uma carreira na área de ilustração, não é impossível e nem tem uma idade certa para isso. Há muitas pessoas que começam bem mais tarde. Nunca é tarde para realizar um sonho.


Mas em qualquer carreira como autônomo, temos que trabalhar arduamente para receber pelo que fazemos. E não é diferente com a carreira do ilustrador. Temos não só que produzir nossa arte, mas também atuar na área comercial, vender nosso trabalho, prospectar clientes, às vezes produzir produtos e emitir notas fiscais, como é o meu caso (essa semana levei produtos com minhas ilustrações para uma loja).


Há meses em que eu trabalho à noite, e também nos finais de semana. E há momentos em que eu posso descansar. Depende da quantidade de trabalho que tenho.


Como autônoma, há meses em que eu ganho muito bem e há meses em que ganho pouco. Se decido tirar férias, tenho que me planejar com bastante antecedência, pois depende do que já ganhei antes. Como freelancers, quando não estamos produzindo, não recebemos.


No entanto, se você trabalha em outra área, saiba que seu trabalho e a profissão de ilustrador podem coexistir.


Não existe uma só opção ou outra. Muitos ilustradores, até mesmo premiados, tem outro trabalho. Há um colega que trabalha o dia todo, escreve e ilustra nas horas vagas, já tem vários livros publicados e até já recebeu prêmios internacionais.


Se você não curte o seu trabalho, vale a pena também buscar algo que lhe dê mais propósito. No entanto, é importante ressaltar que, para ser ilustrador, você não tem necessidade de deixar o seu trabalho para começar a buscar outra profissão. Na verdade, vejo esse seu trabalho com uma rede de segurança enquanto você pode começar a se preparar e testar se a profissão do ilustrador é algo para você.


Uma sugestão que dou, para quem atua em outra área, é que comece uma experiência da profissão do ilustrador. Algo que seja possível, que possa fazer nas horas vagas, e que lhe traga o gostinho do que é ilustrar para livros infantis.


Há vários anos que recebo mensagens de pessoas me dizendo que desejam ser ilustradores. E foi por isso que iniciei o meu curso online. É um curso focado, pois sei que as pessoas tem a vida muito ocupada e não querem enrolação.


No mundo de hoje, temos a ideia de que precisamos fazer tudo de imediato. No entanto, eu creio que Deus poderia ter criado o mundo num estalar de dedos. Mas acho que Ele criou em 6 dias para nos dar exemplo. Se um bebê leva meses para se formar, nós também podemos fazer as coisas devagar. Quantos anos uma árvore precisa para crescer?


Como também estudei Metodologia do Ensino Superior, eu queria que meus alunos realmente se sentissem aprendendo e aplicando. Então, para que tivessem um propósito e um objetivo ao estudar, criei também uma Vivência.


Agora, além do curso, eu ofereço uma experiência de como é a profissão do ilustrador. E no fim dessa experiência, esses alunos publicam uma ilustração em um livro coletivo. Dura em média 4 a 5 meses. No fim, você tem uma ilustração publicada em livro.


Nós produzimos um livro de receitas. As receitas foram escolhidas para termos um tema em comum e para não nos preocuparmos com direitos autorais. E também porque são geralmente curtas, e aí temos espaço para a ilustração.


Nesse processo, os alunos vivenciam exatamente o que eu passo quando começo um livro. Fazemos contrato, temos cronograma a seguir. Cada aluno tem uma página para ilustrar. No fim, cada um recebe 20 exemplares.


E para os que não sabem ainda desenhar bem, tem o curso, que ensina como eu desenho, depois passa para aulas sobre narrativa, composição, etc... Os alunos tem algumas semanas para estudarem antes de começarmos a ilustrar para o livro. No curso, ensino também sobre materiais, técnicas, mostro o meu passo a passo, dou dicas para montar seu portfólio, mostro outros ilustradores, falo sobre como fazer o layout de uma página no livro...


Tudo isso foi criado para dar um pontapé inicial na carreira do ilustrador. Entretanto, tenho recebido mensagens de alunos que dizem que tem vencido a depressão, que tem mais propósito, e que esse processo mudou a vida deles. Eu confesso que não esperava por isso. Mas é muito gratificante. :-)


Então, caso você esteja considerando mudar de profissão, mas não tem certeza, talvez a vivência possa uma maneira de experimentar, em pouco tempo, se desenho e ilustração é o que você realmente deseja fazer, sem precisar abrir mão do que tem agora. Poderia conciliar as duas carreiras, por tempo indeterminado, para sempre ou até que se sinta seguro para fazer a transição definitiva.


Com os alunos do curso, publicamos um livro em julho e vamos lançar mais um em novembro.


Eu não vendo os livros. Eles são produzidos e enviados para os alunos. Todo o lucro do livro digital – ebook – vai para uma instituição de caridade.


Os livros impressos vão para os alunos e os valores ficam para eles. Meu propósito é ensinar, ajudar a entender como é a profissão e ter uma ilustração já publicada para colocar no portfólio.


E agora, no mês que vem, vamos lançar um livro para o Natal, com 45 alunos/ilustradores. Esse está na gráfica, mas em breve estará disponível. Vou avisar quando estiver com preço gratuito na Amazon, para que possam adquirir a custo zero e prestigiar o trabalho dos alunos/ilustradores.


Como falei lá no início, eu entendo bem como é fazer uma transição de carreira. E imagino que toda essa sua dúvida traga muita ansiedade. E por isso que acredito que a vivência seja uma boa experiência. Uma experiência real do que é ilustrar para um livro. Os alunos recebem orientações, aprendem sobre termos de contrato, cessão de direitos autorais, etc...


O curso tem 110 aulas, com vários exercícios e vou abrir as inscrições no mês que vem. Já fizemos dois livros e vamos começar em novembro um livro de receitas com chocolate, para lançar antes da Páscoa.


O custo dessa vivência é muito menor que uma faculdade. Nem sei quanto está uma mensalidade. Na verdade, eu tenho alunas já formadas em Artes Visuais e que me escreveram para contar que estão aprendendo muito.


E também estão aprendendo não só o que devem fazer, mas o que não devem também. É um ambiente seguro para errar e superar os obstáculos, com alguém ajudando a resolver os perrengues que aparecerem.


Então, ao invés de fazer uma faculdade de 4 anos, você poderia começar com algo que vai levar uns 5 meses, custará bem menos e que te dará um certificado, uma experiência real e uma ilustração publicada em livros que irão não somente para o Brasil, mas também para outros lugares do mundo.


Terá a ilustração publicada no ebook, que é vendido no mundo todo, até na India, no Japão, Itália, USA, UK, etc...


Meu próximo passo é ter o livro digital em inglês. Está nos meus planos. Quem sabe até em italiano! Por que não? Ao infinito e além, como diria o Buzz!


Toda ação começa com um sonho. E um objetivo nada mais é do que um sonho com data para acontecer.


Então, se você tem o objetivo de publicar uma ilustração sua, saiba que já tem data para acontecer. Será em março de 2022.


Para isso, é só se inscrever no mês que vem, quando eu abrir as inscrições do curso Ateliê Ilustre, curso online de ilustração infantil.


Em breve, vou enviar mais informações.


Uma ilustrada semana para você!



335 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo