Não fique contente


Algo recorrente que noto na maioria das pessoas que começam a desenhar e ilustrar, é que buscam um resultado satisfatório desde a primeira tentativa. E quando não o conseguem, acabam por desistir acreditando que não sabem desenhar.


Fato é que os desenhistas não desenham sempre bem. Desenham mal também. Às vezes, estamos desenhando algo e, como já falei aqui antes, o cérebro manda e a mão não obedece. A linha fica torta, os olhos ficam grandes ou pequenos demais, o nariz fica no lugar da boca... enfim, é muito comum que isso aconteça.


Quando temos que escrever algo como uma redação, é comum que o façamos uma vez, aí lemos e revisamos. Depois lemos e relemos várias vezes até que fique do jeito que queremos. Reescrevemos parágrafos, mudamos o que estava no começo para o fim, e vice versa. Não é verdade que temos até uma folha para rascunho, a fim de passar para a folha final somente depois que estiver pronto?


Com um desenho é mais ou menos a coisa. Temos que fazer um rascunho, definir as linhas, esboçar detalhes, e somente depois de um tempo que vamos ajustando o que queremos. É preciso desenhar e redesenhar muitas vezes para que algo fique do jeito que a gente quer.


Há alguns meses eu comentei aqui sobre o mesmo assunto. Porém, ainda assim, essa é uma das queixas que mais ouço de leitores e alunos. “Não ficou bom” da primeira vez, “não gostei desse detalhe”, “não gostei das cores” e por aí vai.


Para mim, a solução é bem simples: redesenhar. Talvez seja mais trabalhosa, reconheço. Mas se queremos trabalhar com ilustração, não devemos ficar incomodados de desenhar e desenhar e desenhar. Um aspirante a ilustrador tem que estar disposto a trabalhar em seu desenho várias vezes, mesmo porque alguns clientes pedem alterações. Em outras profissões, as pessoas repetem muitas coisas. Por que com o ilustrador seria diferente?


Por isso, não fique contente com a primeira tentativa. Tente mais vezes, coloque a folha que desenhou contra a janela - ou sua mesa de luz - e redesenhe somente o que gostou na primeira tentativa. O que não gostou, vá modificando. Pode ser um método trabalhoso, mas funciona bem.


E para finalizar, pense: o processo de desenhar, colorir, enfim, ilustrar é muito prazeroso. Fazer linhas e sombras é algo até terapêutico.


Separe um tempo para trabalhar no seu desenho e, caso o resultado não fique a contento, também não fique contente com ele e modifique-o. Faça-o pelo processo de produzir e criar. Faça dele o seu contentamento. :-)


Um ilustrado final de semana para você!



73 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo