Viver de Ilustração

Muita gente não sabe, mas eu cursei Administração como faculdade antes de Belas Artes. Sou professora formada pelo antigo magistério e também tenho uma pós em Marketing e Metodologia do Ensino Superior. Somente mais tarde que estudei Pintura na Accademia di Belle Arti de Veneza.


Entretanto, meu sonho sempre foi trabalhar com arte. Mas, vindo de uma família sem condições, pensei que não poderia viver de arte ou ilustração. Por isso, busquei algo que pudesse me dar condições de conseguir um emprego logo que saísse da faculdade.


Em administração, foram 5 anos de faculdade (federal, porque não tinha como pagar), mais um ano de pós em marketing. Graduada em Administração, consegui um emprego numa empresa muito boa. Isso já faz tempo, mas foram 6 anos de trabalho nessa área.


Fazia todos os dias a mesma coisa: trabalhava na área comercial, digitando propostas, atendendo clientes... até que um dia fui até falar com meu chefe que queria mudar de setor, pois queria fazer algo menos rotineiro e entediante.


Ele me falou: "se você for para a área financeira, vai acabar carimbando notas o dia todo". Hoje eu até acho engraçado isso. O fato é que me marcou bastante. Eu comecei a pensar se era isso mesmo que eu queria: trabalhar a vida toda numa área que me dava um salário fixo com um trabalho chato ou arriscar no que eu queria: trabalhar com artes visuais.

Enfim, deixei a empresa depois que meu filho nasceu (aproveitei a licença maternidade) e fui estudar Belas Artes. Passei em dois vestibulares na minha cidade (Embap e UFPR) e optei por um: Desenho na UFPR.


Logo depois tive a oportunidade de ir morar fora do Brasil. Deixei a faculdade de artes no fim do segundo ano. Na Itália, foi bem difícil fazer a matrícula, estudar, cuidar de filho, viajar todos os dias para outra cidade para estudar, sair antes da aula para pegar meu filho na escola, não tinha ninguém pra ajudar, não tinha atividades extracurriculares... Enfim, vou adiantar essa história: me formei, me especializei em Ilustração Infantil e aqui estou.


Depois de ter estudado em áreas diferentes, fico pensando se eu voltaria no tempo e não faria Administração antes... Penso que talvez eu teria aproveitado mais meu tempo...


Por um lado, teria começado antes. Por outro lado, o que estudei faz de mim o que sou hoje. Administração me ajuda muito na minha profissão de ilustradora. Embora não pareça importante, saber divulgar seu trabalho, ler contratos, definir preços, tudo isso tem muito a ver com a parte administrativa da profissão. A ideia é que nós, ilustradores, somos seres criativos voltados somente para nossa arte.


Porém, vejo que tudo isso me ajudou a ter controle sobre minha profissão. Vejo hoje que também me ajuda a ter uma profissão que me traz muita gratificação.

Às vezes, algumas pessoas dizem que não é possível 'viver de ilustração'. Mas eu creio que há vários fatores que influenciam isso. No nosso caso, ter um bom portfólio, com bom conteúdo, direcionado à atividade que queremos desempenhar, faz diferença. Esse é o primeiro passo.


Ter um portfólio online para divulgar ajuda muito também, e não somente no Instagram. 'Ser descoberto' é algo que raramente acontece. Temos que ser proativos. Vejo mais ilustradores trabalhando porque sabem se comportar de modo profissional, sabem se 'vender', do que 'feras do talento' com muito trabalho. Há clientes que dão prioridade a quem tem um bom trabalho, é verdade, mas também a quem tem estilo, quem entrega no prazo, quem conhece o processo, etc...

O começo é difícil e às vezes bem demorado. É preciso se dedicar muito. Requer muita disciplina. Mas depois que a coisa 'engrena', fica bem mais fácil. Curiosamente, hoje li que a disciplina vence o talento quando o talento não tem disciplina. Eu conhecia essa frase de outra forma, mas é um bom modo de encarar as coisas.


E foi por isso que criei o desafio de ilustração: para que os aspirantes a ilustrador tenham o hábito - a disciplina - de desenhar todos os dias e se desenvolver.


Criei o curso de ilustração para que aprendam habilidades que são importantes em nossa profissão e para que saibam que somente desenhar nem sempre basta. Há ilustradores que desenham sempre as mesmas coisas. É preciso desenvolver um trabalho que tenha conteúdo.


Criei também a Vivência do Ilustrador, tanto para que tivessem a primeira ilustração publicada e também para conhecerem o processo. A ilustração vai ajudar a ter um portfólio com algo publicado e o processo vai ajudar a saber como se relacionar com os clientes.

Tudo isso foi pensado estrategicamente para que os alunos comecem com o pé direito e já pulem etapas. Assim, isso pode colocar cada um deles adiante na carreira. Mas reconheço que isso também depende muito também do esforço de cada um.


Recebo muitas mensagens me perguntando o que fazer...


Uma coisa que vejo é que as pessoas não priorizam o trabalho de fato. Há ilustradores que ficam esperando aparecer alguma coisa para ilustrar. Ou seja, não tem portfólio para mostrar.


As pessoas acreditam que ser ilustrador é desenhar quando a inspiração vem. Mas para ser profissional, temos que desenhar sem esperar inspiração.


Temos que encarar nosso trabalho com seriedade, ter um espaço para trabalhar, mesmo que seja em casa (e não ficar de pijama), buscar aperfeiçoamento, inovar em seu trabalho e não ficar se distraindo, seja com redes sociais ou o que mais for. É uma questão de mindset.


Devemos definir horas para trabalhar. Há dias que fico mais de 10h trabalhando. São 18:57h e ainda estou aqui. Como autônoma, também defino horas de lazer e evito trabalhar nos finais de semana. Se preciso, tiro um dia de folga, ou uma parte do dia. Separo dias para fazer outras coisas que preciso e faço as minhas horas. Vantagens da profissão de ilustrador freelancer.

A primeira coisa que fiz, depois que terminei a graduação, foi ilustrar uma história inteira sozinha, sem compromisso. Isso me ensinou muito e acabou abrindo a possibilidade de ilustrar 7 livros que já foram publicados. Por isso que também criei o Percurso Ilustrativo no meu curso. São exercícios com um objetivo.

Tudo que tenho criado tem como objetivo fazer com que os apaixonados por ilustração consigam não só entrar no mercado de trabalho, como também ter uma carreira na área.

Temos que nos ver, sim, como artistas, mas também como profissionais empreendedores, que buscam seu trabalho proativamente, que criam suas próprias oportunidades de trabalho.


Estou com planos de fazer um curso para ensinar a trabalhar de modo profissional. Porém, tudo é um conjunto: ilustrar, produzir, divulgar, fazer marketing, postar nas redes sociais, fazer networking, saber o processo comercial e financeiros, etc... E ter um trabalho que seja comercializável, com bom conteúdo, com estilo, com boa técnica.

Para finalizar, eu digo que é necessário aprender a administrar o tempo e o dinheiro. Quando você ganha mais num mês, guarda um pouco para o outro mês. Acho que todo profissional autônomo tem que fazer esses ajustes.


Outra coisa é diversificar no que faz e aprecia. Também tenho produtos com minhas ilustrações em lojas, tanto físicas quanto virtuais (por isso que criei o curso Ilu$tre - Como rentabilizar suas ilustrações na internet). Todo mês recebo renda desses produtos. Cada área é diferente e cada ilustrador tem que encontrar onde se adapta melhor.

Enfim, essa é a minha experiência até agora. Pode ser que eu esteja errada, não sei, mas espero que tenha ajudado com o que falei. :-)

Uma ilustrada semana para você!

Ingrid Osternack


136 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo